Consta que o Deputado Federal Josimar Maranhãozinho desembarca nesta sexta feira em Açailândia. Com toda sua pompa que lhe é habitual, Josimar pretende fazer da sua vinda a cidade um estardalhaço midiático, com possível anúncio oficial da pré-candidatura de Luiza do Friagro a Deputada Federal. Na tentativa de impulsionar a agenda, está também a destinação de emendas (dinheiro público) para Açailândia, o que pasmem, só ocorre agora as vésperas do processo eleitoral de 2022.

Josimar Maranhãozinho propagandeia por onde passa, no Maranhão, que quer ser Governador do Estado. Mas fato é que pode não passar de uma falácia, puro blefe, pois o objetivo do hoje Deputado Federal é voltar para a Assembleia Legislativa, já que foi literalmente apagado com sua mudança para Brasília. Nada que o parlamentar faz no Congresso ganha relevância por aqui, o que é um duro golpe na vaidade de Josimar.

Mas para não perder influência sobre emendas federais (que os pagamentos são obrigatórios) e continuar a aumentar o seu patrimônio familiar, que gira em termos de rendimentos anuais em cerca de R$ 1 milhão por ano, Josimar quer eleger a mulher Detinha, atual Deputada estadual, para Federal em 2022, e pra isso precisa de muitas “buchas”, sendo umas delas Luiza do Friagro, ou seja, gente que não tem voto suficiente para se eleger, mas com o pouco que arremata serve de escada para os “mais fortes”.

E os mais fortes de Josimar Maranhãozinho, e suas prioridades reais, são os Deputados Pastor Gyldenemir, Marreca Filho e Júnior Lourenço. Todos que hoje são controlados a mão de ferro por Maranhãozinho. Em comum, todos tem o fato de fazerem parte do grupo de partidos de Josimar: PL, Patriota e Avante. E também de estarem na mira da Polícia Federal por desvio de emendas parlamentares, na linguagem popular: roubo de dinheiro público.

Josimar o “papão de emendas” é citado nas operações Ágio Final – que envolve também o colega Pastor Gildenemyr, o ex-prefeito de Ribamar, Eudes Sampaio e o agiota Pacovan – e na operação Descalabro, que apreendeu R$ 2 milhões nos escritórios de Maranhãozinho. Envolve ainda R$ 15 milhões de emendas destinadas por Josimar.

Segundo a Polícia Federal, só a operação Ágio Final movimentou cerca de R$ 6,6 milhões em emendas parlamentares, com suspeita de pagamento de propina da ordem de R$ 1,6 milhão. Marreca Filho é denunciado por desvio de outros R$ 13 milhões, e mais acusação de desvio de verba para Gasolina, da Câmara.

É justamente neste rolo que o Prefeito de Açailândia, Aluisio Sousa e Silva, pode acabar inocentemente se envolvendo caso aceite emendas politiqueiras, pois podiam ter sido destinadas muito antes e não apenas na véspera de eleições. E isso é uma possibilidade real devido Josimar ser considerado um praticante da máxima de que é dando que se recebe, ou melhor, dar com uma mão e toma com a outra.

By Nilton