Todas as pesquisas indicam que há uma insatisfação jamais vista em relação à política

Resultado de imagem para eleitor charges

Charge do Erasmo (Arquivo Google)

Carlos Newton

Nesta segunda-feira, pela primeira vez o Ibope não revelou a mais importante das pesquisas eleitorais, chamada de “espontânea” e que deve ser a primeira a ser feita, para que o resultado seja o mais correto. O entrevistador simplesmente pergunta: “Em quem você vai votar nesta eleição da presidente”. Esta pesquisa, que dá o mais aproximado quadro do momento, no meu entender é a que tem maior validade. O Datafolha divulgou hoje mais uma pesquisa, mas não cita a pesquisa espontânea;

Com muito esforço,somente  no final da noite desta terça-feira consegui encontrar no site do Ibope o resultado da pesquisa espontânea.   Ao contrário do que ficou registrado na outra pesquisa também divulgada segunda-feira pelo Instituto MDA, feita a pedido da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), o Ibope diz que diminuiu o número de indecisos, brancos e nulos, que se mantinha estável desde o ano passado, por volta de 60%.

DECEPÇÃO – Ao perguntarem ao eleitor em quem pretende votar, a pesquisa CNT/MDA comprovou que a disputa continua sendo vencida pelos indecisos, com 39%, enquanto os brancos e nulos têm 18,1%, perfazendo a maioria absoluta 57,1%.  Um resultado que demonstra a profunda decepção dos eleitores em relação à classe política. É impressionante.

Mas o Ibope agora veio com a novidade, dizendo que indecisos, brancos e nulos, pela primeira vez, estão em empate técnico com os votos válidos. Desde que as pesquisas começaram, no ano passado, o quadro continua o mesmo, com cerca de 60% de indecisos, votos brancos e nulos. Diz o instituto da família Montenegro que os indecisos caíram para 27%, mas os brancos e nulos subiram para 22%. De qualquer forma, somam 49%, sem  fazer maioria absoluta, e os candidatos, somados, chegam a 50%, enquanto o restante 1% o gato comeu, vejam como esses institutos são imprecisos.

DISCREPÂNCIA – Esta pesquisa do Ibope, em tradução simultânea, é meio enlouquecida, porque discrepa da CNT/MDA. Dá Lula com 28% na apuração espontânea, enquanto a CNT/MDA diz que ele só tem 20,7%. Mas as duas pesquisas coincidem quanto aos demais candidatos. O Ibope traz Jair Bolsonaro com 15%, Ciro Gomes e Geraldo Alckmin com 2%, Marina Silva e Alvaro Dias com 1%, os demais com 0% e “outros” com 1%. Esses outros devem ser Manuela d’Ávila, Paulo Rabello, Aldo Rebelo e Flávio Rocha, que já desistiram. E os resultados do CNT/MDA mostram Bolsonaro com 15,1%, Alckmin 1,7%, Ciro 1,5%, Álvaro 1,3%, Marina Silva 1,1%, e os demais somam 1,4%. Estes são os números que valem, se a eleição fosse hoje. O resto é folclore.

Esta realidade tira totalmente a importância das pesquisas estimuladas. Quando os jornais estampam que Lula tem 37%, tenho vontade de rir.  No caso, é preciso tradução simultânea, para explicar que Lula teria 37% dos votos dos suspeitos de sempre, como dizia o chefe de polícia no filme “Casablanca”.

NADA MUDOU –  E a conclusão desse quadro desalentador é clara – a eleição será vencida pelo candidato que melhor representar o descontentamento do eleitoral. Pode ser Jair Bolsonaro (PSL), ou algum outro que galvanize ou catalize o sentimento popular, apresentando-se como um político diferente e desligado das máfias que dominam os partidos.

Se Bolsonaro fosse mais hábil, estaria vencendo no primeiro turno, mas ele é de uma inabilidade impressionante, que se aproxima da imaturidade, por isso há tanta resistência em votar nele, por parte das mulheres, dos afrodescendentes e dos que acham que todo tipo de amor é bonito e vale a pena.

Desenvolvimento e Hospedagem: