Cidadão do Mundo leva 39 alunos do Maranhão para estágio internacional em 11 países

Trinta e nove alunos de graduação, mestrado e doutorado ganharam nesta segunda-feira (26), em São Luís, a certeza do embarque para onze países a fim de estagiar, aprender uma nova língua e aprimorar conhecimentos durante três meses, com tudo pago pelo Governo do Estado. Trata-se do programa Cidadão do Mundo, Estágio Internacional.

“Hoje nós estamos consolidando mais um passo do programa Cidadão do Mundo, além do intercâmbio que visa que estudantes possam aperfeiçoar suas habilidades e idiomas. Nós estamos aqui também com estudantes de graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado que vão poder ter presencialmente a vivência em instituições acadêmicas de outros países”, afirmou o governador Flávio Dino.

Em conversa com os alunos, o governador ressaltou a preocupação da gestão em investir em formação e qualificação, dentro e fora do país. Os estudantes voltam aptos a dividir conhecimento.

“Essas são sementes que vão frutificar no nosso Estado, em oportunidades, em capacidade desses pesquisadores de aprimorar o nosso conhecimento. E isso é a principal ferramenta para abrir o desenvolvimento que nós estamos buscando”, acrescentou Flávio Dino.

O Cidadão do Mundo, Estágio Internacional, é uma realização da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema). Os recursos para o financiamento do edital são de R$ 700 mil, do Tesouro Estadual. Os projetos deverão apresentar duração mínima de 30 dias e máxima de 90 dias.

São bolsistas como Ferdinand Almeida, um dos jovens selecionados para o intercâmbio, que fez questão de destacar o comprometimento da gestão atual com a educação do Maranhão.

“No mestrado, também sou bolsista da Fapema, o que me permite dedicar exclusivamente à pesquisa, então é certo que o Governo do Maranhão e a Fapema sempre agiram corretamente com os alunos. É muito importante o que o governo Flávio Dino está fazendo, não é à toa que foi eleito o melhor do Brasil pelo G1. Pela primeira vez, o Maranhão está indo na contramão de um momento de crise, onde outros estados e o Governo Federal cortam investimentos, e mostra que acredita no poder da pesquisa”, afirma Ferdinand.

Ao todo, 26 projetos de pesquisa foram aprovados para a nova fase do programa que levará os 39 alunos para países como Estados Unidos, Portugal, Espanha, Itália, México, Peru, Reino Unido, Argentina, França, Finlândia e Alemanha, visando o aperfeiçoamento profissional e a experiência internacional de estudantes de graduação, mestrado e doutorado.

“Nós acreditamos na ciência, na tecnologia e na inovação. Por isso, a Fapema e a nossa Secretaria de Ciência e Tecnologia são muito empenhadas em todos os programas que possibilitam aperfeiçoamento dos nossos profissionais, professores, pesquisadores e estudantes”, destacou o governador.

“O programa demonstra o compromisso do governo Flávio Dino com a internacionalização da educação como um todo. Hoje ter uma experiência nacional é um diferencial para atuar no ambiente acadêmico ou mercado de trabalho”, ressaltou o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Davi Telles.

Mais Qualificação

A chamada pública está dentro da linha de ação Mais Qualificação e no âmbito do programa Cidadão do Mundo, que já levou centenas de estudantes da rede pública para participar de intercâmbio linguístico no exterior.

O diretor da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), Alex Oliveira, destacou a oportunidade única na educação dos jovens maranhenses.

“O estágio internacional permite que o aluno traga novos conhecimentos, mas que também leve o conhecimento que tem. Essa troca é importante para nossos pesquisadores e para a continuidade dessa troca do Maranhão com outros países do mundo”, destacou.

 

 

 

 

Da Assessoria

Desenvolvimento e Hospedagem: