AÇAILÂNDIA – Polícia Civil investiga professor por “estupro de vulnerável”

Após ser denunciado a polícia por uma aluna menor de idade, um professor bastante conhecido em Açailândia, passou a ser investigado pelo crime de “estupro de vulnerável”, praticado contra a adolescente.

Após a formalização da denuncia na polícia e divulgação do caso em redes sociais, surgiu uma “avalanche” de denuncias de crimes sexuais em desfavor do professor, que até o momento não teve sua identidade divulgada.

O Delegado Regional de Açailândia Murilo Pedroso Lapenda, que ficou conhecido nacionalmente por investigar e prender um distrito inteiro (Delegado, Escrivã, Investigador e Carcereiro) e mais um advogado, disse que as investigações estão bastante avançadas e que várias adolescentes que dizem serem vítimas do professor, já foram ouvidas.

O delegado acrescentou ainda que apesar da grande demanda, irá dar uma atenção especial para esse caso, para que possa dar uma resposta às vítimas, familiares e para a sociedade em um todo.

“Temos a incumbência de investigar tudo aquilo que julgamos ser crime e que seja de nossa competência, mas os crimes praticados contra grávidas, crianças, idosos, portadores de necessidades especiais e estupros, esses sempre terão de nós uma atenção especial. Esses tipos de crimes enojam e causa revolta”, Disse Dr. Murilo.

OUTRO CASO

Um Segundo professor que também não teve sua identidade divulgada, ainda, para não atrapalhar as investigações, também vem sendo investigado sob suspeita de crimes sexuais supostamente praticados contra adolescentes. O inquérito policial foi instaurado pelo então titular do 1º Distrito Policial, Delegado Edmar.

Contra esse professor as acusações também são graves. De acordo com o delegado Regional, Dr. Murilo, o “educador  maníaco” pedia para os adolescentes fazer foto das partes intimas e enviar pelo um aplicativo de mensagem de celular que permite enviar vídeos, fotos e áudios.

Ainda segundo o Comandante da Polícia Civil de Açailândia, as investigações caminham a passos largos.

Desenvolvimento e Hospedagem: